Arquivo do mês: junho 2010

Resiliências

A distância do meu amor

perturba a paz

que já suposta

há logo atrás daquela porta

em que forço entrada

em desespero

querendo e querendo

colocar no lugar imaginado

o que por hora

o tufão dispersa

C.K.

Ausente,

na abstração de um gesto teu esquecido

enquanto tua face se desfaz

na falha química de minha mente

que de tanto tentar te fazer presente

em desespero,

te perde lentamente

C.K.

Sinto tanto e de tal forma

o fogo abrasivo do meu desejo

que iludo-me na hora extravasada

e sendo assim não mais revejo

memória exaustiva de um único beijo

prolongado em ânsias de jamais!

C.K.

Autor: Cynthia Kremer

7 Comentários

Arquivado em cynthia kremer, versos